A Ética Como Métrica da Excelência

A principal missão de um Coach é fazer com que as pessoas alcancem seu máximo potencial, alinhando plenitude pessoal e profissional. Isso significa um tipo de sucesso abrangente, que vai além de superficialidades. Uma das dimensões mais importantes desse processo é a do comportamento ético.

Muitos indivíduos encaram o crescimento profissional e pessoal como prioridades, mas não avaliam de antemão quais os limites aceitáveis para alcança-los. Já imaginou como se comportaria diante de uma situação que forçasse seus limites morais e éticos? Como seria ser confrontado pelo seguinte trade-off: manter seus valores ou subir na vida?

Porque o Dilema?

george-selimashvili (1)

Um dos maiores filósofos da atualidade, Mário Sérgio Cortella, defende conceitos interessantes sobre a ética. Um deles é o de que o comportamento antiético simplesmente é não aceitável. O indivíduo não deveria enxergar uma opção que não atendesse aos seus padrões morais de conduta.

Pensar sobre isso nos leva a refletir: qual a validade dos resultados que obtemos quando não nos atemos aos nossos valores? A resposta é clara, direta e sem margem para interpretação: Nenhuma.

A ética é parte integrante e inegociável do sucesso. Basicamente, isso significa que não existe dilema algum sobre a conduta a ser assumida, pois adentrar por um caminho diferente representaria abdicar do direito de ser bem-sucedido. A ética não é uma barreira ao crescimento, é uma condição.

E Quando o Antiético é a Regra?

3789119-5651287

Não é raro encontrarmos, principalmente em referência a casos de corrupção, indivíduos que justificam o comportamento antiético com afirmações do tipo: “se eu não fizer, outro fará” e “o Brasil é assim”. O que não podemos perder de vista é o que nos tornamos ao seguirmos por esse caminho.

A ética é um dos traços que define nossa humanidade. Ela nos permite viver além dos nossos instintos, equilibrando individualidade e bem comum. Ela nos define como seres sociáveis, capazes e merecedores de viver em grupo.

O indivíduo que escolhe ultrapassar os limites éticos deixa de pertencer a esse mundo. Ele fere toda a estrutura criada para estabelecer um convívio racional e abdica dos bons costumes que garantem a perpetuidade harmoniosa da raça humana.

Sendo assim, caro leitor, ainda que essas barreiras não sejam físicas, que você se sinta lesado pelas atitudes alheias, que a ética seja a exceção e que não haja consequências imediatas, não se engane, o prejudicado é você. Ser motivo de vergonha não é a opção de vida de ninguém, portanto pense: Como ser bem-sucedido sabendo internamente da ilegitimidade de suas conquistas?

2 Comments

  1. Alessandra De Matos E Silva 3 de abril de 2016
    • Bruno Augusto 3 de abril de 2016

Leave a Reply