House of Cards: Um MBA Sobre o Poder

Chegou a sexta-feira, dia mais aguardado da semana por muitos. E como de costume, na Academia de Espartanos é dia de Happy Hour! Hoje queremos falar sobre House of Cards, um seriado da Netflix focado em política e que a cada dia conquista mais adeptos.

Não gosta da temática? Repense sua opinião. Dar uma chance a Kevin Spacey de mostrar os bastidores fictícios da casa branca, junto de detalhes sórdidos de uma vida pessoal conturbada, pode ser uma das maiores iniciativas que você tomará no aprendizado sobre o poder.

Pouco Ortodoxa, Extremamente Realista

house_of_cards_02-1374515Não espere uma história ou um personagem que joguem limpo. House of Cards é feita de um material que quase ofende o telespectador ao expor muitas das fragilidades de caráter presentes tanto na política quanto na sociedade em geral. O pior é o ar que a série dá de que tudo isso acontece o tempo todo, bem debaixo dos nossos narizes.

O protagonista, Frank Underwood, é inteiramente obcecado pelo poder e não mede esforços para cumprir seus objetivos. Enxerga tudo de um ponto de vista estratégico e molda seus resultados de pouco em pouco, galgando cada degrau e persuadindo cada indivíduo até o resultado esperado.

Muitos princípios valiosos ligados à obtenção e manutenção do poder, gestão de crises, trabalho sob pressão e psicologia de massa, são demonstrados de forma prática em um contexto que, em dados momentos, beira à insanidade. Tudo isso em um ritmo frenético e despudorado, alternando entre drama, humor e muito sarcasmo.

O resultado é uma trama envolvente e bem trabalhada que vai fundo na guerra que as disputas pelo poder podem se tornar. Não há cautela, comedimento ou pedidos de perdão. Cada movimento tem uma proposta agressiva e orientada a resultados claros, ainda que os ternos e o linguajar polido sejam mantidos.

Em Resumo…maxresdefault

House of Cards realmente vale a conferida. Frank Underwood oferece um verdadeiro arsenal no que se refere à análise de contextos, relacionamentos interpessoais e formulação de estratégias.

Um dos poucos pontos que pesa contra, é o grande volume e a complexidade de certos diálogos, o que pode levar a uma atmosfera maçante em alguns episódios. Outro aspecto é o desconforto que uma visão tão cética da realidade pode provocar em alguns expectadores, mas nada que tire o mérito da série.

Nós da Academia de Espartanos não apoiamos nenhum tipo de ato ilícito ou antiético e acreditamos que o grande valor da série está na chance de entender a anatomia do poder, o que pode ajudar na tomada de decisões efetivas em qualquer contexto. Sendo assim, assista a série com um olhar crítico e pense especialmente nas seguintes questões:

  • Você toma atitudes objetivas em direção aos resultados que deseja?
  • Qual importância você tem dado para as pessoas no atingimento de suas metas?
  • Você pensa no resultado de suas atitudes ou age por impulso?
  • Você estabelece metas objetivas?

E você que já assistiu a série? O que achou? O artigo reflete bem a ideia? Deixe sua contribuição! Ela é essencial para aprimorarmos nosso trabalho cada vez mais.

No Responses

Leave a Reply