6 Características Que Diferenciam Profissionais de Amadores

Nós vivemos em um mundo no qual o medíocre é livremente aceito. Estar na média, na famosa situação do “ok”, além de ser comum, chega a ser o grande objetivo de muita gente. Nada contra. No Coaching nós não focamos em certo ou em errado.

A questão é: caso escolha esse caminho, você se sentirá satisfeito? Pouco provável. Uma das grandes buscas do ser humano é se realizar genuinamente naquilo que faz. Quando ele decide viver esse desejo, abre a porta para que morra o amador e nasça o profissional.

Separando o Joio do Trigo

two-pathsVejamos alguns dos atributos que distanciam as pessoas que se levantam para viver um espetáculo daquelas que acordam para “bater ponto”:

1. Domina seu trabalho: profissionais não enrolam. Eles sabem o que precisam fazer, sabem como fazer e fazem. São competentes, ou seja: têm conhecimento, habilidade e buscam experiência. Amadores podem até falar bonito, mas lhes falta consistência, entregam um trabalho meia boca e geralmente são evasivos e genéricos.

2. Sabe delegar: quem entende a dinâmica do trabalho também entende as peças necessárias para desenvolvê-lo e sabe onde começa o seu papel e termina o do outro. Quem delega mal (amador) é porque não domina o processo global ou porque se sente ameaçado e inseguro em dar espaço ao próximo.

3. Não retém conhecimento: o profissional reproduz o conhecimento. Amadores têm o péssimo hábito de acreditarem que, em plena era da informação, guardar o que sabem para si irá torna-los insubstituíveis para a empresa. O profissional se concentra em aplicar conhecimento com maestria, não em saber mais do que os outros.

4. Pensa de forma autônoma: amadores são bitolados. Se apegam a manuais e paradigmas, mas quando algo sai do controle se desequilibram e não sabem por onde seguir. Profissionais absorvem conhecimento e transformam em atitudes de valor, dessa forma, são capazes de criar algo novo, se reinventarem e se adaptarem ao contexto.

5. Busca se atualizar: profissional nunca acha que sabe de tudo. É aquele cara inquieto que está sempre pesquisando na internet, indo em evento, conversando com gente da área. Ele se renova, aprende, interage, se compromete. Amador fica naquela… só lembra do trabalho na hora de bater cartão e reclamar, se acomoda e ainda tem certeza que sabe tudo.

6. Ama o que faz: sem esse último item é difícil alcançar os demais. Ninguém dura tempo o suficiente ou se esforça tanto quanto necessário para alcançar o patamar de profissional sem sentir algo de verdadeiro pelo que faz. Amadores têm no máximo simpatia.

O Trabalho de um Artista

Businessman painting abstract colorful design on gray background concept for business creativity, imagination and inspiration

Kelly Slater, Michael Jordan, Steve Jobs, Oprah, Flávio Augusto, Walt Disney, Stan Lee, Abraham Lincoln, Johann S. Bach, Warren Buffett, Anthony Robbins, Al Pacino, Barack Obama, Santos Dumont, Silvio Santos, Papa Francisco… O que essas pessoas têm em comum? Elas são a personificação do profissionalismo.

Em suas respectivas áreas, cada um deles criou trabalhos tão impressionantes, obras tão cativantes, que podem ser comparados a artistas (em alguns casos são). Mesmo sendo uma lista de grandes destaques, o mesmo brilho nos olhos, a mesma garra e o mesmo amor pela “arte” podem ser encontrados em pessoas anônimas, mas que também prezam pelo melhor.

É desse tipo de atitude que surgem Monalisas, iPhones, Coca-colas, Mustangs e séries aclamadas de livros. É de indivíduos com essa postura que vem o melhor pão do bairro, a cadeira mais confortável, o café mais gostoso, o atendimento diferenciado… São essas pessoas que mudam o mundo.

E aí, quer ser profissional ou amador?

Leave a Reply