Com Quem Tu Andas?

Associação: uma palavra simples, desprovida de complexidade semântica, mas de grande apelo. Já ouviu aquele ditado: “Me diga com quem tu andas que te direi quem és”? Pois é, faz sentido. Se você ainda não repensou suas companhias, é melhor repensar…

Porque as Companhias Importam?

negativityTer sucesso não é fácil. Fato. Depende de uma combinação de fatores que potencializam as capacidades do indivíduo rumo a realizações que ele considere adequadas aos seus objetivos e ideais de vida. Um dos elementos que fazem toda a diferença se refere às associações.

Todo ser humano é influenciado pelo ambiente que ocupa, em maior ou menor grau. Ele absorve aquilo que vê, ouve e sente. Isso quer dizer que, mesmo que você não se comporte exatamente como alguém ao seu lado, você acabará assimilando aspectos dessa pessoa pelo simples convívio.

Basicamente você discutirá as mesmas coisas, desenvolverá algumas concepções e hábitos semelhantes ou, no mínimo, se orientará para aspectos similares. Existe então elevada probabilidade de você assumir alguns padrões de comportamento e de tomada de decisões daqueles que o rodeiam.

Como Você tem Escolhido Suas Companhias?

false-friendPode parecer um comportamento frio e calculista, mas eu não seria Coach se não estivesse disposto a fazer esse questionamento: como você tem selecionado aqueles que compõem seu ambiente profissional e pessoal? Você tem sido objetivo em suas escolhas?

Não me leve a mal. Não estou dizendo para você se afastar daqueles que não compartilham de seus ideais e nem para ser preconceituoso, mas para avaliar o seguinte aspecto: Ao escolher uma companhia, a sua decisão vai além da presença física da pessoa. Você decide se expor às suas ideias e julgamentos. Você assume um compromisso com tudo que o indivíduo representa.

Se você conviver em um ambiente de ilegalidade, provavelmente, passará a enxergar crimes como coisas normais. Se conviver com pessoas pessimistas, terá tendências a desistir facilmente. Se tolerar atitudes negativas, como reclamações e fofocas, logo está mais propenso a aderir a tais comportamentos.

Se é assim, porque decidir se associar a indivíduos que te influenciem negativamente ou que podem te prejudicar física/psicologicamente? É ilógico. Fuja dessas pessoas. Se não houver essa opção, crie filtros mentais para que elas façam menos diferença. Ignore-as. Não assimile suas condutas.

Simples e Efetivo

Equipo-ExitoTodas as pessoas possuem um caráter dual que mescla qualidades e defeitos. Devemos então ter cuidado com a rigidez dos julgamentos que realizamos. No entanto isso não muda o fato de que certos indivíduos nos fazem bem e outros nos fazem mal.

Pense na qualidade das relações que compartilha, principalmente daquelas que têm influência muito forte sobre você. Procure conviver com quem lhe faça bem e trate de também influenciar essas pessoas positivamente. Se entregar a convivências nocivas é tão perigoso quanto desenvolver vícios.

A conduta nos define e ela é construída pelos hábitos que assumimos. Quer ir longe? Caminhe com pessoas que tenham o mesmo desejo ou que pelo menos te incentivem até lá. Se desfaça das relações que o prejudicam. Existem muitos desafios a serem vencidos e eles se tornam incrivelmente piores ao lado daqueles que escolheram a negatividade.

Leave a Reply