Mad Max: Uma Jornada de Fúria e Evolução

02No dia 14 de maio de 2015 foi lançado o filme Mad Max: Estrada da Fúria, um remake da famosa franquia das décadas de 70/80. Na ocasião do anúncio o projeto foi visto com certa desconfiança, especialmente pelos fãs do original, mas acabou sendo um sucesso de crítica e bilheteria, chegando a concorrer ao Oscar de melhor filme.

Na nossa coluna Happy Hour de hoje vamos falar sobre alguns dos aspectos que tornam Mad Max muito mais do que um filme de ação. Preste bastante atenção aos ensinamentos existentes entre lutas, corridas insanas e personagens saídos do lado mais sombrio da imaginação humana!

Carros no Deserto, Futuro Pós Apocalíptico e Muito Rock and Roll

3fa24842c04842abae816d37fb8881c2O ritmo é alucinante. Max é um homem atormentado por um passado de perdas e vive em um mundo devastado, que representa apenas um esboço do que chamamos de sociedade. O cenário é um deserto sem fim, infestado de saqueadores e seres tão transfigurados quanto todo o resto.

Um belo dia ele tem seu carro roubado e é levado aos domínios de Imortan Joe, uma mistura de líder militar e religioso que estabeleceu uma comunidade na qual detém todos os suprimentos, escolhe as mulheres que bem entende e controla pessoas que vivem em meio à completa miséria.

Ao ser utilizado como suprimento de sangue para membros do exército, Max se vê em meio a uma arriscada fuga orquestrada por Furiosa, uma imperatriz que decide libertar as jovens que vivem em cativeiro e servem como fonte de prazer e de reprodução para Imortan Joe.

Ah, e no meio de tudo isso, tem um cara muito louco tocando guitarra!

the-man-behind-the-awesome-flamethrower-guitar-player-in-mad-max-fury-road-is-a-popular-australian-musicianAlém do Que se Possa Esperar

Mad Max foi muito além de um filme de ação tradicional e trouxe lições realmente profundas. A começar pela parceria entre Max e Furiosa, que deixam suas diferenças de lado na busca pelo bem comum, vemos expressa a interdependência que temos uns dos outros, especialmente em meio ao caos.

Outro ponto recorrente é o empoderamento, representado com grande destaque por Furiosa, uma mulher implacável frente ao sofrimento, às numerosas batalhas e às injustiças. Ela constrói seu próprio destino sem deixar espaços para o vitimismo.

Já em Max, vemos uma persistência fora do comum, em especial diante de embates aparentemente perdidos. Além disso, ele mergulha profundamente em soluções não convencionais que chegam a ser confundidas com acessos de loucura, mas expressam com excelência a necessidade do pensamento livre das amarras do senso comum.

Os personagens secundários também trazem importantes ensinamentos, como Nux, que nos mostra como qualquer um pode mudar, se assim desejar, ou Imortan Joe, que revela como uma ideologia e influência irresponsáveis podem acabar com a vida de um grande número de pessoas.

Mesmo diante da devastação, vemos uma batalha desesperada por sobrevivência, por um futuro melhor e por um lugar para chamar de lar, mostrando como o mindset faz toda a diferença: não importa a situação, você controla o seu mundo e encontrar objetivos de vida e pontos positivos é de sua responsabilidade.

Possa a Estrada Levantar-se e Encontrá-lo

Por fim, a grande mudança vivida por Max ao longo da jornada do herói traz à tona um aspecto de suma importância: nenhum de nós tem o direito de permanecer alheio.

O mundo gira e afeta a todos, uns mais, outros menos. Ficar passivo não nos isenta de responsabilidade. Existem pessoas a serem influenciadas, problemas a serem solucionados e batalhas a serem travadas. O que você tem feito a respeito?

“Aonde devemos ir… nós que peregrinamos por esse deserto à procura do melhor de nós?”

O primeiro homem da história

Leave a Reply