Manejando o Caos: A Gestão de Crises Pessoais

mad-manA vida é cheia de imprevistos. Por mais que você planeje, se antecipe e trabalhe duro, sempre enfrentará percalços inesperados. Eles podem ter efeitos desastrosos, que ameacem seus objetivos, ou serem apenas uma vírgula no processo. Tudo depende da sua postura.

Pensando nisso de maneira alinhada com o universo do Life Coaching, hoje vamos falar da administração cuidadosa dessas situações e da forma mais poderosa de lidar com as várias faces que os problemas podem apresentar: A Gestão de Crises Pessoais.

O Que São Crises?

A palavra crise vem do grego, krisis, e remete à ideia de decisão, definição ou separação. Pensando do ponto de vista pessoal e recorrendo às definições presentes no Dicionário Aurélio, aquelas que melhor se adequam são:

  1. Manifestação súbita de um estado emocional ou nervoso.
  2. Conjuntura ou momento perigoso, difícil ou decisivo.

Sendo assim, crises pessoais são abruptas e se relacionam a qualquer situação complexa que provoque desequilíbrio à experiência de vida. Alguns exemplos são: problemas em relacionamentos, dúvidas existenciais, dificuldades financeiras, acidentes, discussões de grandes proporções, problemas jurídicos, morte de pessoas próximas, e por aí vai.

A Reação às Crises Pessoais

dealing-with-stressReagir a uma situação de crise é algo complexo. Geralmente existem tantos pontos para se concentrar que fica difícil manter o foco e atacar causas objetivas. Isso ocorre principalmente devido aos dois lados muito distintos da mesma questão: as influências internas e externas do problema.

  • Questões internas

A face interna de uma crise está ligada aos efeitos emocionais que ela provoca. Já é difícil solucionar problemas com a mente livre, imagina fazer isso enquanto preocupações martelam a todo o momento seus pensamentos. Sendo assim, atente para os seguintes pontos:

  • Trabalhe o autocontrole: atitudes impensadas podem piorar a questão.
  • Tenha em mente quais os reais problemas: nunca associe toda nova dificuldade que aparecer à crise enfrentada. Isso pode retirar seu foco, provocar descontrole e criar uma bola de neve.
  • Tome atitudes objetivas: Se pergunte a cada novo pensamento ou decisão: estou sendo produtivo ou gastando energia à toa? Reclamar ou brigar com os outros são exemplos de atitudes que não ajudam em nada.
  • Assuma uma postura proativa: nunca desanime ou tome atitudes passivas durante uma crise. Seja agressivo na busca por soluções.
  • Questões Externas

Após definir a postura a ser assumida, é hora de atuar nos pontos sistemáticos do processo:

  • 1Defina precisamente o objetivo: O que tem de acontecer para sua crise ser solucionada? Anote a resposta para que seja um direcionador.
  • Levante todos os envolvidos: Na maior parte das crises as pessoas são o ponto central. Identificá-las é o primeiro passo para tratativas consistentes.
  • Planeje seus passos: não basta saber o que fazer, é preciso saber como. Monte um plano de ação para que suas atitudes sejam ágeis e efetivas, lembrando de ser minucioso quanto a todas as questões a serem tratadas.
  • Monitore a situação: é preciso verificar o desenrolar da crise e os efeitos de suas atitudes. A ideia é se adaptar conforme o necessário.
  • Previna novas crises: Soluções duradouras envolvem a prevenção da reincidência. Pense naquilo que levou ao problema e corte o mal pela raiz. A forma mais inteligente de gerir crises e impedindo que elas aconteçam.

Essas são algumas dicas para enfrentar problemas pessoais complexos de maneira assertiva. É importante manter a congruência entre ideais e atitudes ao longo de todo o processo e enfrentar cada situação com a mesma clareza com a qual se lida com qualquer tipo de projeto.

Leave a Reply