O Que os Erros da DC no Cinema Ensinam a Empreendedores?

batmanvsupermanbilheteriaA DC Comics, editora de quadrinhos e mídias relacionadas, trouxe à existência alguns dos mais famosos super-heróis da história: Batman, Superman, Mulher Maravilha e companhia atravessaram gerações e ainda hoje são verdadeiros ícones pop. Muitos trabalhos competentes foram desenvolvidos, entre HQs, jogos, filmes e animações.

Nos últimos anos, graças a uma série de fatores, estão em evidência as produções cinematográficas. Em 2016, duas das películas mais aguardadas foram lançadas, em parceria com a Warner e, infelizmente, frustraram boa parte do público. Vejamos agora o que os erros cometidos nos ensinam sobre gestão de negócios.

Como Tudo Começou

No dia 24 de março de 2016 foi lançado o filme Batman vs Superman. A ideia era dar continuidade ao universo iniciado com a produção Homem de Aço, de 2013. Tratou-se de uma proposta ousada, de filmes soturnos, com uma dureza que os distanciava de produções mais leves, como as da Marvel.

Até aí tudo bem. Nada mais lógico e interessante do que ter duas perspectivas diferentes sobre ideias semelhantes. Tanto os fãs de quadrinhos quanto o público em geral ganhariam com a variação de abordagens. Ninguém queria mais do mesmo.

No entanto, quando o filme foi lançado, algo inesperado aconteceu: a maior parte da mídia especializada teceu duras críticas e o próprio público ficou amplamente dividido. Não há como esperar unanimidade, mas é fato que a repercussão foi negativa, pegando os produtores de surpresa. Aí começou a bola de neve.

O Caso Esquadrão Suicida

342412Se havia dúvidas de grande parte do público sobre as falhas em Batman vs Superman, o mesmo não aconteceu com Esquadrão Suicida. É quase um consenso os erros de roteiro, que foram acentuados pela grande expectativa em torno do filme: A DC queria mostrar que havia aprendido a lição, os fãs queriam consistência e o público em geral queria um bom filme. Nada disso aconteceu.

Como explanado em nossa crítica, Esquadrão Suicida tem excelentes personagens, interpretados por ótimos atores, mas não há como negar: não foi uma produção que convencesse. A situação piorou quando descobrimos que, em grande medida, existe uma boa explicação para o que aconteceu.

Erro 1: Posicionamento

Conforme declarações dadas pelo diretor de Esquadrão Suicida, David Ayer, a produção entregue ao público não foi a que ele esperava. Havia uma proposta inicial de um filme duro, de natureza fria, aderente à abordagem geral. Quando a Warner e a DC sentiram a reação do público a Batman vs Superman, decidiram realizar modificações criativas há apenas 5 meses do lançamento.

Mesmo que a decisão expresse uma tentativa desesperada de reagir aos erros do passado, alguns grandes problemas foram provocados: o universo amplo que vinha sendo construído tornou-se ambíguo, o filme pareceu ser montado por vários recortes desconexos e o roteiro aparentou ser escrito às pressas. Ao invés de conseguir uma solução, criou-se uma baita dor de cabeça.

A lição principal aqui se refere ao posicionamento: planeje-o com cuidado, mantenha-o em mente e pense no impacto de tentar alterá-lo no meio do caminho. Você precisa descobrir quem quer ser para o mercado e entender a melhor forma de fazer isso.

Erro 2: Necessidades do Cliente

O segundo deslize cometido pela DC foi supor o que os clientes queriam, ao invés de se assegurar. As críticas a Batman vs Superman em nenhum momento recaíram sobre a seriedade do filme. Tentar solucionar a frustração dos fãs com um roteiro mais leve e imagens mais coloridas não foi coerente.

Faltou aí o entendimento daquilo que o público queria. Foi pago um alto preço por se ignorar uma das primeiras lições que todo empreendedor precisa aprender: quem manda é o cliente. Encontre o que ele deseja e seja próspero, ignore e fracasse.

Erro 3: Expectativa

A terceira grande falha do processo foi sobre o resultado final. Esquadrão Suicida criou uma megaestrutura em torno de si, com alguns dos melhores e mais reveladores trailers e prévias do ano. Todos sabiam o estilo de filme prometido, mas na “hora H” alterações estruturais foram realizadas.

O resultado foi uma produção que pouco teve a ver com o que a maioria esperava. Perceba que a grande regra de ouro foi violada: entregue aquilo que combinou com o cliente. Não basta vender o conceito, seu produto precisa ser aquilo que você diz que é e fazer o que você diz que faz!

Alguém Salve o Futuro do Heróis

Desde os fatos aqui descritos, a Warner, em conjunto com a DC, vem fazendo uma abrangente reestruturação de sua forma de trabalho para o cinema. O estúdio e a editora, aparentemente, perceberam que modificações cuidadosas são necessárias. Como em qualquer empreendimento, sempre existe aquele momento de se fechar, rever conceitos, testar premissas e recomeçar.

CapaLiga_1SBL8DF_QsGjOVKEsperamos de verdade que eles consigam entrar nos trilhos e produzir algo do qual se orgulhem. Fato é que todos, desde o que tem o mínimo interesse em super-heróis, até os mais fanáticos, estão ansiosos para descobrir o que o futuro reserva a essas histórias que divertem, ensinam e inspiram.

Leave a Reply