7 Homens e um Destino: Entregue-se à Causa

themagnificentsevenHoje em nossa Happy Hour selecionamos o remake de um dos grandes clássicos de faroeste da década de 60: 7 homens e um destino. Lançado no dia 22 de setembro, o filme tem recebido críticas mornas, ficando no campo intermediário, especialmente quanto à qualidade do roteiro. Mas isso não nos impediu de falar sobre seus méritos.

Se a produção não possui toda a qualidade técnica que os críticos esperavam, o fato é que conta uma história grandiosa, tem um time seleto de atores e cenas de ação que apenas os filmes de faroeste são capazes de proporcionar.

Um Enredo Clássico

A história é uma velha conhecida: um rico explorador de minas toma uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos à força, ameaçando e matando muitos de seus humildes moradores. Estes por sua vez, pedem pela ajuda de um caçador de recompensas que reluta em um primeiro momento, mas então aceita formar uma equipe capaz de libertar a cidade.

Ele consegue a ajuda de um grupo bem pouco convencional: um apostador bêbado de descendência irlandesa, um fora da lei mexicano, um assassino oriental, um rastreador que se tornou uma lenda por escalpelar indígenas, um atirador com distúrbios traumáticos e um descendente de indígenas atravessando uma espécie de prova espiritual.

O enredo criado é relativamente simples, afinal trata-se da clássica trama entre Davi e Golias: 7 homens e uma cidade de trabalhadores contra um exército de capangas.

Sobre Cowboys e Sessões de Coaching

636044420514665613-xxx-the-magnificent-seven-81535787A forma clássica com que o filme foi construído resgata o espírito de auto sacrifício e de entrega a uma causa maior, que muitas produções tem deixado de lado. Vemos um bando de desajustados com habilidades magníficas lutando em prol da justiça que foi negada a um pacato vilarejo.

No meio disso tudo, vemos um sistema vivo que funciona em várias frentes:

Liderança: Sam Chisolm, o pistoleiro vivido por Denzel Washington, forma uma equipe de homens em quem pode confiar e deixa-os livres para usarem o que têm de melhor. Ele empodera todos deles, ao envolve-los em cada decisão e deixá-los livres de qualquer centralização. Isso cria um processo fluido, uma máquina de resultados.

Formação de Equipes: o grupo criado possui habilidades complementares e se orienta em torno de um objetivo comum, criando grande sinergia em sua atuação. Isso mostra de forma clara a importância de se apostar na diversidade e na multidisciplinaridade na hora de escolher as pessoas com quem se trabalha.

Motivação: outro aspecto expresso de forma primorosa pelo filme é a forma como as pessoas podem se superar quando têm um propósito. O que move uma equipe não são apenas desejos materialistas. É preciso fazer com que cada membro acredite na causa, entenda seu papel e tenha meios para fazer o seu melhor. Nesse ponto, todos estarão prontos para a máxima performance.

Sim, Nós Indicamos!

Não é fácil construir um remake. Existe toda a pressão da comparação com o original, a necessidade de construir algo adequado à época e a responsabilidade de dar novos ares à história. Tudo isso favorece o trabalho dos críticos.

A questão é que, apesar de qualquer falha, 7 homens e um destino cumpriu aquilo que se propôs a realizar. Vemos o tipo de filme que dá lições a todo momento, repleto de alívios cômicos e sem qualquer complexidade que distancie o público. É um filme direto, dinâmico, construído com a mesma abordagem que tornou seu gênero tão aclamado.

2 Comments

  1. MCBraga 10 de outubro de 2016
    • Bruno Augusto 5 de novembro de 2016

Leave a Reply